Anuncios

 

Leitura Bíblica:
Então falou Isaque a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? (Gênesis 22.7).
O original do Antigo Testamento (o hebraico) usa vários termos para se referi à ovelha como veremos logo mais a baixo. No caso de Gênesis 22.7, o termo hebraico usado é “seh”, e significa filhote de ovelha.
O carneiro (no hebraico “ayil”) é o animal adulto (ver Gênesis 22.13), e o cordeiro (no hebraico em Gênesis 22.7) é o animal com até um ano de idade. A qualidade da carne é influenciada pela idade do animal, pelo peso de abate, nutrição, sistema de manejo (pasto, confinamento), sexo e raça.


I. PALAVRAS HEBRAICAS PARA CORDEIRO E/OU OVELHA
Seis palavras hebraicas e uma palavra grega estão envolvidas na compreensão do termo ovelha, a saber:
1. Kebes, «cordeiro». Palavra hebraica que figura por cento e quatro vezes. Por exemplo, Êxo. 29:38-41, Lev. 4:32; 9:3; 12:6; Núm. 6:12,14; 7:15,17,88; 15:5; 28:3,4,7,9,11,13,14,19,21,27,29; II Crô. 29:21; Esd. 8:35; Pro. 27:25; Isa. 1:11; Jer. 11:19; Eze. 46:4-7,11,13,15; Osé. 4:16.
2. Keseb, «cordeiro». Palavra hebraica que aparece por doze vezes. Para exemplificar: Gên. 30:32,33,35; Lev. 1:10; 7:23; Núm. 18:17; Deu. 14:4.
3. Tson, «ovelha». Palavra hebraica usada por cento e dez vezes, com esse sentido. Por exemplo: Gên. 4:2; 12:16; 20:14; Êxo. 9:3; 20:24; Lev. 22:21; Núm. 22:40; 27:17; 32:36; Deu. 7:13; 14:26; Jos. 7:24; I Sam. 8:17; 14:32; 27:9; II Sam. 7:8; I Reis 1:9,19; 25; II Reis 5:26; I Crô. 5:21; II Crô. 5:6; 7:5; Nee. 3:1,32; Jó 1:3; Sal. 4:11, 22; 49:14; 74:1; Isa. 7:21; 13:14; Jer. 12:3; Eze. 34:6,11,12; Joel 1:18; Miq. 2:12; Zac. 13:7.
4. Tsoneh, «ovelha». Palavra hebraica usada por duas vezes: Núm. 32:24 e Sal. 8:7.
5. Rachel, «ovelha». Palavra hebraica usada por quatro vezes: Can. 6:6; Isa. 53:7, Gên. 31:38; 32:14.
6. Seh, «ovelhinha». Palavra hebraica que ocorre por quarenta e quatro vezes, com diversas traduções correlatas. Por exemplo: Êxo. 22:1,4,9,10; Lev. 27:26; Deu. 17:1; 18:3; Jos. 6:21; I Sam. 14:34; Sal. 119:176; Jer. 50:17.

1. Termo grego para ovelha
1. Próbaton, «ovelha» «carneiro». Este Vocábulo grego é empregado por trinta e nove vezes no Novo Testamento: Mat. 7:15; 9:36; 10:6; 10:16; 12:11,12; 15:24; 18:12; 25:32,33; 26:31; (citando Zac. 13:7) Mar. 6:34; 14:27; Luc. 15:4,6; João 2:14,15; 10:1-4; 7,8,11-13, 15,16,26,27; 21:16,17; Atos 8:32 (citando Isa. 53:7); Rom 8:36 (citando Sal. 44:23); Heb. 13:20; I Ped. 2:25 e Apo. 18:13.
2. A ovelha em Relação o Bode
a) A ovelha é mais seletiva do que o bode, em sua alimentação
A ovelha é mais seletiva do que o bode, em sua alimentação, requerendo uma melhor quantidade de forragem, geralmente uma melhor qualidade de relva, conforme podemos observar em I Crônicas 4:39,40: “Chegaram até a entrada de Gedor, ao oriente do vale, à procura de pasto para os seus rebanhos. Acharam pasto farto e bom... As erráticas chuvas de inverno que caem na Palestina faziam a relva crescer em tufos, e os pastores, sabendo onde encontrar pastagem, levavam as suas ovelhas até aqueles lugares. Davi, com base nesse tipo de experiência, escreveu: “Ele me faz repousar em pastos verdejantes...” (Sal. 23:2).

b) A carne das ovelhas
A carne das ovelhas, diferente do caso dos bodes, é boa tanto nos animais pequenos como nos já bem desenvolvidos.  O sabor e aroma da carne é mais intenso nos animais mais velhos, principalmente nos animais abatidos com mais de um ano de idade, ou seja, a carne de cordeiro tem odor e sabor mais suave que a carne de carneiro.

c) Leite de ovelhas
Em algumas comunidades, as ovelhas eram altamente valorizadas por causa de seu leite, embora haja somente uma clara referência bíblica a isso, isto é, Deuteronômio 32:14. Uma espécie moderna, derivada de raças desde há milênios nativas da Palestina, atualmente, é largamente usada para produzir leite para o fabrico de queijos.
No Egito, as ovelhas eram usadas para pisar o grão dos cereais, desde cerca de 2500 A.C. A variedade de nomes que os hebreus aplicavam a esse animal indica quão importante as ovelhas eram para os israelitas. Eles eram pastores capazes, e, provavelmente, dispunham de diversas espécies.

II. A OVELHA NO USO DE OFERTAS E SACRIFÍCIOS
A ovelha tornou-se um fator proeminente nas ofertas e sacrifícios de Israel, e grandes números eram sacrificados a cada ano. Certos tipos de ofertas consistiam em holocaustos animais inteiramente consumidos ao fogo (ver sobre Sacrifício); mas, de acordo com outros tipos de sacrifícios, quase toda a carne do animal sacrificado era usada pelo ofertante ou pelo sacerdote oficiante. Alguns nomes hebraicos são raramente usados, exceto nessa conexão.
Acima de tudo, a ovelha revestia-se de profunda significação metafórica. Ela é o símbolo central em trechos bíblicos como Salmos 23 e Isaías 53:6. Neste último trecho, lemos: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas...”
No Novo Testamento encontramos uma passagem como a de João 1:29: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” E, em João 10:14, lemos:” Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim...”
Dentre as setenta e quatro menções às ovelhas, nas páginas do Novo Testamento, apenas uma deve ser entendida em sentido literal: as ovelhas que estavam sendo vendidas no átrio do templo de Jerusalém (João 2:14), juntamente com os bois e as pombas.
Tal como em muitos países, onde cães e cavalos são domesticados e onde os homens lhes aplicam nomes, assim também, em alguns países do Oriente, os pastores dão nomes às suas próprias ovelhas.

III. COMO OS PASTORES CONDUZIAM AS OVELHAS
Os pastores orientais seguiam adiante do rebanho, não o enxotando por detrás. Isso serve de excelente ilustração da orientação que nos é dada por Cristo. Assim ele fez primeiramente, quando de nossa conversão: guiando-nos para fora deste mundo.
Em seguida ele assim age quanto ao pasto: conduz-nos a uma vida espiritual mais abundante (ver João 10:10). Em seguida ele nos leva até a completa vida eterna, o destino apropriado dos remidos (ver João 10:25).

IV. JESUS – O CORDEIRO DE DEUS (Jo 1.29, 36)
João identificou publicamente Jesus como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Em outro texto do Novo Testamento, Jesus é chamado cordeiro (At 8.32; 1Pe 1.19; Ap 5.6). O livro de Apocalipse fala 31 vezes a respeito de Jesus como cordeiro.
A referência de João a Jesus como Cordeiro de Deus chama atenção para o sistema sacrificial do Antigo Testamento. Nesse tipo de sacrifício, Deus aceitava o sangue de animais como meio de expiação para o pecado. É provável que João tivesse em mente muitos temas do Antigo Testamento quando chamou Jesus de Cordeiro de Deus. Tais temas podiam incluir a oferta pelo pecado (Lv 4), a oferta pela transgressão (Lv 5), o sacrifício no Dia da Expiação (Lv 16) e o sacrifício da Páscoa (Êx 12).
No entanto, a imagem mais forte do Antigo Testamento é a do Servo sofredor que “como cordeiro foi levado ao matadouro” (Is 53.7). Desse modo, a referida descrição a respeito de Jesus foi o prenúncio da expiação que ele próprio cumpriria em nosso favor.

Conclusão
Todos os sacrifícios de animais no Antigo Testamento simbolizavam Cristo pagando o preço pelo pecado em nosso lugar. Fica claro em Hebreus 11.17-19 que a experiência de Abraão com Isaque e o carneiro prefiguraram a obra de Cristo. Assim como o carneiro se tornou um substituto para Isaque, para poupar-lhe a vida, do mesmo modo Cristo (o cordeiro) se tornou um substituto por todos os homens, morrendo no lugar deles, para que fossem livres da morte eterna e do inferno se eles o aceitarem como seu sacrifício (Is 53; Mt 20.28; Jo 6.51; 10.11-18; 11.50-52; 15.13; Rm 4.25; 5.6-8; 14.15; 1 CO 15-3; 2 CO 5.14-21; Gl 1.4; 2,20; Hb 2.9-18; 5.9; 9.15-28; 10.10; 1Pe 2.21-24; 3.18; 4.1).

Fontes bibliográficas
- Dicionário, Russell Norman Champlin, Ph. D.
- Bíblia DAKE, CPAD/ATOS
- www.milkpoint.com.br
- Dicionário Grego e Hebraico Strong
- Divulgação: Subsídios EBD


 
Top