FECHAR
Clique e acesse
 

Introdução
O principal objetivo de todos os que amam e se esmeram no laborioso ministério de ensino na igreja é que suas Escolas Dominicais cresçam e se desenvolvam em todos os âmbitos, aspectos e sentidos. Porém, para que esse objetivo seja de fato alcançado, é imprescindível que se faça um sério e eficiente planejamento. 
Nenhuma Escola Dominical crescerá de verdade sem um cuidadoso e detalhado plano de ação e expansão.

Nesse afã, muitos questionamentos deverão ser feitos pelos líderes da ED: Quais as causas do insucesso da Escola Dominical? Quais as causas da constante evasão de alunos?

O que fazer para criar novos departamentos ou ampliar os já existentes?
A quantidade de alunos em cada classe está dentro dos padrões ideais?
O que fazer para desdobrar as classes, tornando-as interessantes e participativas?

Como arranjar espaços adequados para as salas de aula?
Como redimensionar os espaços existentes?
Como administrar os recursos financeiros, técnicos e humanos em benefício da Escola Dominical?
Enfim, como conquistar um padrão de excelência para a Escola Dominical?

I. Mediante uma eficiente administração

1. A administração só será eficiente se houver organização.
Organização lembra ordem, método de trabalho, estrutura, conformação, planejamento, preparo, definição de objetivos.
"Uma vez que a ordem permeia o universo de Deus, temos base para crer que o céu é lugar de perfeita ordem. Leis preciosas e infalíveis regulam e controlam toda a natureza, desde o minúsculo átomo até os maiores corpos celestes." O crescimento sem ordem é aparente e infrutífero.

a) Deus é um ser organizado.
Planejou a criação; a nossa redenção; a ordem das tribos; o tabernáculo; a multiplicação dos pães, etc.
A organização na Escola Dominical é extremamente necessária. Deverá estar presente em cada fase do trabalho: no planejamento, na execução do plano, e na avaliação dos resultados. A organização da ED deve ser simples e funcional; de acordo com a realidade de cada igreja.

b) Razões para a organização.
Dividir e fixar responsabilidades; esclarecer os limites do trabalho a ser realizado; atender as necessidades das pessoas envolvidas; garantir resultados satisfatórios.

II. Mediante um plano de crescimento

A ED deve crescer tanto em quantidade quanto em qualidade. As escolas que estão sempre crescendo numericamente, geralmente são as que mais se preocupam com a melhoria da qualidade de ensino.
Quais os passos necessários para que a ED cresça?

1. Localize o povo.
Os líderes da ED precisam saber onde se encontra a sua população alvo. É necessário saber quem são e onde estão os alunos em potencial a serem matriculadas na Escola Dominical. Onde está a fonte de novos alunos?
a) Lista de novos convertidos.
Muitos se convertem e não voltam mais à igreja. Precisamos buscá-los! Os novos convertidos são como crianças recém-nascidas em Cristo; precisam ser recepcionados e identificados imediatamente após a conversão. (Ficha de identificação e triagem)

b) Relação de visitantes na escola e nos cultos da igreja.

c) O rol de membros da igreja.
O rol de membros é uma fonte quase inesgotável. Faça uma campanha com o lema "Cada crente um aluno".
O número de matriculados na ED deverá ser maior que o número de crentes no rol de membros da igreja.

2. Promova uma campanha contínua de matriculas.
Existe uma ligação direta entre a matrícula e a presença na ED. A medida que cresce a matrícula, cresce também a presença.
Para dobrar a frequência na ED é necessário dobrar a matrícula. (Geralmente, o número de alunos que frequentam a ED assiduamente, corresponde a metade do número de alunos matriculados.)

a) Que plano de matrícula a sua igreja usa?

Plano de matrícula contrário ao crescimento
Exigência de um novo aluno assistir à classe durante certo número de domingos seguidos, antes de ser matriculado.
• Desligar qualquer pessoa matriculada que não assista com regularidade à classe.
Motivos justos para desligamentos
Morte; transferência para outra igreja; mudança de residência que impossibilite a assistência à escola; um pedido insistente da parte do próprio aluno.
b) Quando se deve matricular um novo aluno?
Imediatamente, se for esse o desejo dele. Não se deve pôr obstáculos para a efetivação da matrícula.
3. Elabore um programa de visitação. A visitação visa encorajar os alunos ausentes, e reintegrá-los à vida cristã.
4. Amplie as estruturas. Criar novos departamentos, novas classes.

5. Providencie espaço adequado.

Não adianta pensar em matricular novos alunos, se não existe espaço para a nova classe funcionar. Este é um dos principais problemas que explicam o pouco crescimento na maioria das EDs.

a) Redimensionar o espaço que já possui na igreja. Um estudo criterioso apontará o espaço não usado ou mal usado.
b) Aproveitar o espaço existente nas casas próximas à igreja ou em escolas públicas ou particulares.
c) Realizar a ED em dois turnos. Algumas igrejas realizam duas EDs: uma pela manhã e outra à tarde. Os colégios fazem isto; porque não a igreja?
d) Ampliar a construção. A igreja que constrói espaço suficiente para a sua ED tem espaço para todas as suas necessidades.

III. Mediante a adoção de métodos criativos
1. Exposição oral.
Aula expositiva ou preleção. Método tradicional usado frequentemente em escolas de todos os níveis. O professor colocado diante do grupo expõe oralmente a matéria, falando ele só o tempo todo. É o método mais criticado, mas também o mais utilizado. O êxito ou fracasso no seu emprego dependerá da habilidade do professor.

2. Perguntas e respostas.

É largamente utilizado por ensinadores experientes, desde os dias da antiguidade. A eficácia deste método reside no fato de que as perguntas sempre são desafiadoras.
A mente, neste caso, não apenas recebe informação, mas a analisa e pondera. Existe todo um processo de reflexão, analise e avaliação que ocorre no cérebro do aluno.

3. Discussão ou debate. O método de discussão ou debate é aquele em que um assunto ou tópico da lição é colocado para ser discutido entre os membros do grupo.
4. Técnicas de trabalho em grupo.

Por maior que seja o entusiasmo do professor em incentivar a participação ativa dos alunos, seu sucesso vai depender em última instância de saber organizar atividades que facilitem esta participação. Aí é que entram as técnicas de trabalho em grupo. Eis algumas: phillips 66; díade; grupos simples com tarefa única; tempestade cerebral; pergunta circular; grupos de verbalização e de observação; painel; estudos de casos etc.

IV. mediante o apoio irrestrito dos lideres da igreja
1. Comparecendo e participando.
2. Estimulando (A importância do estudo da Bíblia).
3. Incentivando seus auxiliares do ministério e líderes de Departamento.
4. Investindo na ED.

a) Recursos financeiros. Deve a igreja destinar uma verba regular a fim de que a ED possa funcionar sem atropelos.
b) Recursos humanos. Compreende a reciclagem periódica dos educadores.
c) Recursos Técnicos. Aquisição de material didático, mobílias adequadas e salas pedagogicamente planejadas.

Comportamento negativo

Permitir atividades paralelas à ED (Atividades administrativas, tesouraria, serviço de som, afinação de instrumentos musicais, aconselhamento pastoral). Não investir, ou investir insuficientemente na área de educação.
A principal parcela do orçamento da igreja sempre é dirigida a outras áreas em detrimento da educacional.

Conclusão
Todo o trabalho da Escola Dominical deve passar por uma avaliação periódica. Deve- se objetivar o padrão de excelência. Como buscar o padrão de excelência? Comparando o presente progresso (os resultados) com os alvos e objetivos previstos. A partir daí, você vai descobrir a possibilidade de melhorar e aperfeiçoar.

Por: Marcos Tuler, ver. Ensinador Cristão, n° 56, CPAD - Blog Subsídios EBD



Print Friendly and PDF
 
Top