FECHAR
Clique e acesse
 

Atenção! Este conteúdo faz parte do curso 1 para professores da Escola Dominical. Acesse aqui o curso Completo.
INTRODUÇÃO
A escola dominical tem uma influencia direta no que tange ao fortalecimento da igreja local e o preparo individual dos crentes para o serviço cristão.

Em nossos dias, quando se busca fórmulas rápidas de crescimento institucional, líderes premidos por resultados rápidos utilizam-se exageradamente de fórmulas empresariais de crescimento, e colocam em cheque a saúde espiritual da igreja, tornando-a inchada, mas não necessariamente crescida.

É evidente que uma igreja cheia pode não significar ausência de espiritualidade de seus membros ou de seu líder, mas também não é necessariamente uma representação exata do crescimento pretendido por Deus àquele grupo.

Como se aufere, então, se uma igreja está crescendo de forma sadia?
Observando a importância que os líderes e os membros da igreja dão ao estudo e a prática da Palavra de Deus. Dentro dessa esteira vem a comunhão, a espiritualidade, o avivamento, os dons, o poder pela oração e tantos outros elementos que devem fazer parte da vida da igreja.

O retorno para o crescimento adequado da uma congregação ou de um campo de igrejas passa por diversos fatores, entre eles uma escola dominical de excelência, estruturada, que atenda aos alunos dentro de suas necessidades pedagógicas e alcance os objetivos propostos de ensino bíblico voltados para o amadurecimento e fortalecimento dos santos.

I. PREGAÇÃO E ENSINO
O crescimento de uma igreja sólida passa também pela sua dedicação à Palavra de Deus. Seja pela pregação, seja pelo ensino, a Palavra de Deus deve ocupar o lugar de primazia nos discursos e na vida da igreja.

Quando tratamos de discursos da igreja, temos, como mencionado acima, a pregação. Este meio de comunicação é hábil para se anunciar as verdades do evangelho em um culto público, para todas as pessoas que no santuário estiverem.

Mas em que pese o fato de a pregação ser hábil para o anúncio das verdades do evangelho, não é necessariamente hábil para o ensino.

Nem todo evangelista é um mestre, e nem todos os pregadores tem a habilidade de exercer o ministério do ensino.

Evangelismo tem uma função diferente do ensino, em que pese o fato de que quando se evangeliza, se transmite verdades ensinando às pessoas a necessidade da salvação.

A pregação tem seu valor no culto cristão, e mesmo fora dele podemos utilizar a pregação da Palavra de Deus para falar com aqueles que ainda não conhecem o evangelho.

Podemos pregar com palavras ou com exemplos pessoais, que em muitos casos são muito mais convincentes. Em muitos casos, pessoas ouvem uma pregação e aceitam Jesus na mesma hora, e em outros casos, a mensagem "faz" efeito em um momento posterior.

O ensino, porém, tem suas peculiaridades. Com certeza, é preciso ter habilidade para pregar, mas para ensinar também. E preciso saber para quem vamos ensinar, ter o local apropriado para o ensino, usar métodos mais adequados e buscar um grau de avaliação naquilo que ministramos. O próprio Jesus fez uso do ministério do ensino em seus discursos.

Não raro, pregadores podem aparecer em nossas igrejas e destilar ensinamentos que não correspondem à pureza da Palavra de Deus. E o que faz com que a igreja local exerça o discernimento necessário para receber o ensino comprometido com a Bíblia e rejeitar o ensino daninho?

O conhecimento da Palavra de Deus e das doutrinas sagradas. Esse ensinamento é, sem dúvida, solidificado por meio do trabalho de professores comprometidos com o ministério do ensino.

Atenção! 
Este conteúdo faz parte do curso 1 para professores da Escola Dominical. Acesse aqui o curso Completo.


 
Top