FECHAR
Clique e acesse
 

4 de Setembro de 2016
Texto Áureo
“ [...] Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa." (At 16.31)

Verdade Prática
A salvação pela fé em Jesus deve ser pregada aos filhos e aos fami­liares não crentes, tanto por meio de palavras quanto por um teste­munho bom, eficaz e amoroso.
VEJA O SUBSÍDIO EM VÍDEO
LEITURA DIÁRIA
Segunda – 1Pe 3.1-7: O dever do cônjuge cristão
Terça – Ef 5.22 – 24: A sujeição da esposa e o amor do esposo
Quarta – 1Co 7.10 – 16: Instruções ao cônjuge convertido
Quinta Mc 5.1-20: O liberto anuncia a salvação aos de sua casa
Sexta – Pv 22.6: O dever de instruir os filhos no caminho
Sábado – At 10.24 – 27, 44-48: As Boas-Novas no lar de Cornélio

   Clique e leia também:
Lições Bíblicas do 3° tr. De 2016 – Classe de Adultos
Blog: Subsídios EBD – Partilhando o evangelho


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 16.25-34
25 E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.
26 E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.
27 E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.
28 Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos.
29 E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.
30 E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?
31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.
32 E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa.
33 E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus.
34 E, levando-os à sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em Deus, alegrou-se com toda a sua casa.

HINOS SUGERIDOS: 127, 376, 605 DA HARPA CRISTÃ

OBJETIVO GERAL
Compreender que a salvação pela fé em Jesus deve ser pregada aos filhos e aos familiares não crentes,
OBJETIVOS ESPECÍFICOS   
I. Conscientizar de que os filhos precisam ser evangelizados.
II. Saber que o nosso maior desafio é evange­lizar nossos cônjuges.
III. Mostrar que precisa­mos evangelizar nossos parentes.

* INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Professor, procure enfatizar no decorrer da lição que a nossa família deve ser o nosso primeiro e mais importante campo missionário. De que adianta ganhar vidas para Cristo e ter a família longe do Salvador, sem salvação?
Encontramos uma promessa de salvação para nossas famílias em Atos 16.31, porém como crentes temos que fazer a nossa parte: orar em prol da nossa família, jejuar, dar um bom testemunho e anunciaras Boas-Novas.
Incentive os alunos a realizarem o culto doméstico em seus lares. É importante adorar a Deus em família e orar unidos. Que nossos lares sejam uma extensão de nossas Igrejas. Você professor, tem cuidado com zelo de sua família? Tem sido um evangelista em seu lar? Então você não terá dificuldades para falar a respeito do tema desta lição.

INTRODUÇÃO
O evangelista Lucas narra a trans­formação operada pelo Evangelho no lar do carcereiro de Filipos. Responsável pela guarda de Paulo e Silas o zeloso funcionário público foi profundamente tocado pelo testemunho dos missionários que, mesmo presos, oravam e cantavam ao Senhor. E, quan­do do terremoto que abalou os alicerces do cárcere, ele, tomado pelo medo, perguntou aos apóstolos: "Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?" (At 16.30).

Paulo e Silas foram precisos em sua resposta: "Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa" (At 16.31). A decisão do carcereiro abrangeu sua esposa e filhos que, naquela mesma noite, foram batizados. Nesta lição, veremos de que forma poderemos evangelizar os filhos, o cônjuge incré­dulo e os vizinhos. O campo missionário começa em nossa casa.

I. EVANGELIZANDO OS FILHOS
Os pais não podem acompanhar os filhos por toda a vida, mas devem assegurar-se de que eles, mediante a educação que receberam, tomarão boas decisões e não se desviarão jamais da fé.

1. Por meio do culto doméstico.
Este é o momento em que toda a família reúne-se para louvar a Deus, conhecê-lo mais in­timamente e buscar a sua bênção. O culto doméstico deve ser diário e envolver a todos. Cada família marcará o horário mais apropriado.

As crianças que não sabem ler aprenderão ouvindo as histórias bíblicas e os cânticos. As maiores acompanharão a família na leitura alternada do texto sagrado. Durante o período de oração, que também deve contemplar a idade de cada filho, a esposa, ou o marido, apresentará pe­didos ao Senhor, agradecendo pelas bênçãos já recebidas.

2. Levando-os a igreja.
Os pais israelitas foram instruídos a fazer menção do Senhor aos filhos, narrar-lhes os feitos divinos em todas as ocasiões. Eles o faziam através de lembretes escritos, rituais e monumentos (Dt 6.6-9; Êx 12.25- 27; Js 4.5-7).

Em nossa casa, as Bíblias, os hi­nários e os livros cristãos devem es­tar sempre visíveis e ao alcance das crianças. É importante que também haja boa música evangélica e filmes bíblicos. Que o Evangelho seja visto, ouvido e vivido em nosso lar.

3. Levando-os à igreja.
Se ir à casa de Deus não fosse importante, Elcana não se daria ao trabalho de levar consigo Ana e Penina, com todos os seus filhos e filhas, ao local de adoração (l Sm 1.3,4). Sozinho, ele subiria a Silo mais rápido e facilmente. Entretanto, sabia que toda a sua família precisava participar do culto ao Senhor. O próprio Jesus, embora Deus, era conduzido regularmente por seus pais ao Santo Templo (Lc 2.22,41,42).

Levar os filhos à igreja não é sim­plesmente acompanhá-los até a porta e deixa-los lá, para buscá-los mais tarde. Também não é correto deixar o cônjuge e os filhos em casa e ir sozinho à igreja. Toda a família deve estar presente aos cultos e à Escola Dominical.

4. Tendo um viver cristão. As crian­ças observam atentamente se agimos conforme o que ensinamos, ou se que­bramos as regras por nós estabelecidas. Por isso, a melhor forma de ensinar-lhes a vida cristã é vivê-la cotidianamente.

A boa conduta do crente, em casa, é útil para instruir os filhos, bem como para evangelizar os vizinhos. A nossa postura íntegra, contrastando com o estilo de vida deste mundo, haverá de atraí-los a Jesus. A atitude de Isaque quando da disputa dos poços certamente foi um testemunho vivo de paciência e mansidão para todos em sua casa (Gn 26.18-22).

SÍNTESE DO TÓPICO l
Os pais são os responsáveis pela evangelização dos filhos.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
O ideal do Antigo Testamento é o de uma comunidade comprometida a viver para amar a Deus e os outros. A família deveria ser o foco da instrução. E o foco da família era o pai e a mãe que louvavam a Deus e levavam a sério suas palavras (Dt 6.5,6), Mães e filhas trabalhavam juntas no lar, enquanto os filhos trabalhavam com os país. Os pais tinham muitas oportunidades para imprimir a Palavra de Deus em seus filhos, explicando as coisas e as escolhas que fizeram como respostas às Palavras de Deus.

As palavras eram faiadas a respeito de Deus quando 'sentados em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te', Dessa maneira, a ex­periência diária era o contexto para se ensinar o significado da Escritura, pois a instrução da Lei de Deus acontecia na sala de aula da vida.

O exemplo de pais comprometidos, a intimidade do amor da família, e a oportunidade de ver corno as implicações da Lei de Deus eram seguidas, construíram juntos o mais poderoso projeto educacional jamais imaginado.

Filo, escrevendo no tempo do Novo Testamento, diz que os filhos "são ensinados a crer em Deus, o único Pai e Criador do mundo, por assim dizer, desde o berço por seus pais por seus professores, e por aqueles que os conduzissem, mesmo antes da instrução nas sagradas leis e costumes não escritos'" (RICHARDS, Lawrence O» Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Génesis a Apocalipse capítulo por capítulo.10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p, 123).


II – EVANGELIZANDO O CÔNJUGE
Em vez de abandonar o marido, ou a esposa, o cônjuge salvo deve procurar ganhá-lo para Cristo, con­forme orienta Paulo aos coríntios (l Co 7.12-14).

1. Trazendo a esposa a Cristo.
O marido crente ganhará a esposa para Cristo se agir conforme o modelo bí­blico, amando-a e coabitando com ela com entendimento.

a) Amando-a como Cristo amou a Igreja (Ef 5.25).
Jesus morreu por amor à igreja. Logo, o marido, à se­melhança de Cristo, deve colocar os interesses da esposa à frente dos seus, e cuidar dela física, emocional e espiritualmente. Esposa alguma achará difícil submeter-se à liderança de um homem que lhe dedique tanta honra e apreço.
b) Coabitando com entendimento (l Pé 3.7).
Como nova criatura, o espo­so agirá segundo o caráter de Cristo, revelando as qualidades do fruto do Espírito (Gl 5.22). Ao permitir que o Espírito Santo lhe governe as atitudes, o marido será um exemplo de excelência cristã à esposa, atraindo-a Jesus.

2. Trazendo o esposo a Cristo.
O grande desejo da mulher salva, cujo marido ainda está no mundo, é ganhá-lo para Cristo. O apóstolo Pedro mostra o passo a passo dessa tarefa (l Pé 3.1-6).

a) Sujeitando-se a ele (v. 1a,6a).
Ao submeter-se à autoridade do marido, "como Sara obedecia a Abraão", a es­posa demonstra obediência a Deus. Sua atitude dócil, mas sábia e prudente, convencerá o marido de que servir a Jesus traz harmonia ao lar. Agindo assim, a mulher cristã saberá como aconselhar o esposo, afastando-o de atitudes erradas e desastrosas.

b) Pelo porte cristão (vv. 1,2).
O porte cristão da esposa será revelado em palavras brandas, bom humor, atos de bondade e decisões inteligentes. Com tais qualidades, ela atrairá o marido a um encontro pessoal com o Senhor Jesus.

c) Sem palavras (v. 1b).
A melhor pregação da esposa crente é a sua con­duta exemplar. Ela não irritará o esposo com falatórios e prédicas diárias; sua pregação sem palavras mostrará sua eficácia.

d) Pela beleza interior (vv. 3-5).
A esposa salva não deve descuidar de sua aparência. Sabe, porém, que o adorno capaz de conquistar o marido para Cristo é o "espírito manso e quieto", que não se abala com as circunstâncias e vive em contentamento e gratidão.

CONHEÇA MAIS
A liderança do marido (Ef 5.22,23)
Para estarmos seguros de não interpretarmos mal o con­ceito de liderança no casamento, como direito do marido de prevalecer sobre a esposa, Paulo especifica de que maneira a liderança do marido deve ser revelada.

Especificamente, o marido é o cabeça como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela para que a santificasse (vv. 25,26).

A liderança no casamento deixa claro que o papel do marido é semelhante ao de Cristo, de sustentar e proteger sua esposa encorajando-a em direção ao cresci­mento pessoal e espiritual.

SÍNTESE DO TÓPICO II
O crente precisa obedecer aos princípios morais estabelecidos por Deus.

SUBSÍDIOS BÍBLICO-TEOLÓGICO
Pedro ensina como um esposa deve agir fim de ganhar para Cristo o seu marido não salva.

(1) Ela deve ser submissa ao marido e reconhecer a sua liderança família.

(2) Ela deve conduzir-se de um modo santo e respeitoso, com espírito manso e quieto.

(3) Ela deve esforçar-se para ganhar o marido para Cristo, mais pelo comportamento, do que por suas palavras (Bíblia de Estudo Pentecostal, lê Janeiro: CPAD, p. 1941).

A Palavra de Deus também apresenta ensinamentos para os mandos cujas esposas ainda não aceitaram a Cristo como seu Salvador.

 (1) Ame a sua esposa uno Cristo amou a igreja, ou seja, um amora ltruísta e abnegado.

(2) Coabite com sua esposa com entendimento, seja lábio em suas palavras e atitudes.

(3) Suas ações devem ser coerentes com suas palavras. Viva aquilo que você prega.

lII - EVANGELIZANDO OS PARENTES
Os parentes também podem ser alcançados para Cristo pelo bom teste­munho e pela pregação do Evangelho.

1. Em tempos favoráveis.
Uma bênção recebida, ou uma data especial, é sempre um bom motivo para um culto em ações de graças no lar. Então, imitemos Cornélio, que, amando seus parentes e amigos, convidou-os à sua casa para ouvir o Evangelho através de Pedro (At 10.24).

2. Em tempos de crise.
O cerco à cidade de Jericó impeliu Raabe a reconhe­cer o Deus de Israel como o seu Senhor. Graças à firmeza de sua decisão, os seus pais, irmãos e outros parentes foram poupados da destruição (Js 6.23,24). Quando a família é assolada por doenças, morte ou escassez, o crente apontará Jesus como a única solução.

SÍNTESE DO TÓPICO l
Evangelize seus parentes não crentes.


SUBSÍDIO DIDÁTICO
Professor, mostre aos alunos, uti­lizando o quadro abaixo, que para uma evangelização eficiente entre os paren­tes não crentes é necessário:

1. Mostrar de forma clara e concisa quem é Jesus e o que Ele fez para nos salvar.

2. Mostre a necessidade da salvação. Fale que todos pecaram, conte a história da queda. Leia Romanos 3.23.

3. Diga que Jesus morreu na cruz pelos nossos pecados.  A morte e  ressurreição de Jesus é a solução para o homem pecador.

4. Mostre que a salvação é pela fé, mediante a graça de Deus.

5. Faça o apelo. O apelo deve ser claro e conciso.

CONCLUSÃO
Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa". Firmado nessa promessa, o novo convertido orará pela salvação de toda a sua família. E, através de seu testemunho, demonstrará o que o Evangelho fará na vida de quem recebe Jesus como o seu Salvador.

A família salva buscará sempre uma oportunidade para falar de Cristo aos seus parentes e vizinhos. Não nos esqueçamos, igualmente, do fortaleci­mento espiritual de nossa família através do culto doméstico, do ensino bíblico e da frequência regular aos trabalhos da Igreja. E dessa forma, ousemos afirmar como Josué: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24.15).

PARA REFLETIR
A respeito da evangelização na família, responda:

• Como os pais podem falar de Jesus aos filhos?
Por meio do culto doméstico, através dos símbolos cristãos e levando-os à igreja.

• De que maneira o marido salvo pode conduzir a esposa a converter-se?
Amando-a como Cristo amou a Igreja e coabitando com entendimento.

• O que a esposa salva deve fazer para levar o marido a Cristo?
Sujeitando-se a ele pelo porte cristão e sem palavras.

• De que forma a família cristã pode cumprir a grande comissão?
Crendo na promessa bíblica: "Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa". Orando pela salvação de toda a sua família e dando testemunho. Falando de Cristo aos seus parentes.


• Cite exemplos de personagens bíblicos que trouxeram a família a Jesus.
  Clique e leia também:
Lições Bíblicas do 3° tr. De 2016 – Classe de Adultos
Blog: Subsídios EBD – Partilhando o evangelho
 
Top