FECHAR
Clique e acesse
 

Obs. Lição de Classe de Adolescentes – 3° trimestre de 2016 - CPAD
Ensinar a Palavra de Deus é uma honra concedida a poucos, mas que traz para aqueles que o fazem uma grande responsabilidade. Pois o Mestre a firmou que "será pedido muito de quem recebe muito; e, daquele a quem muito é dado, muito mais será pedido" (Lc 12,48).

LEIA TAMBÉM - clique:

Diferentemente de um professor secular, que prepara seus alunos para passar em provas e concursos, aquele que ensina as verdades bíblicas prepara seus alunos para a vida humana e eterna.
Para que ministremos um ensino de qualidade, um preço deve ser pago. Horas de planejamento e estudo devem ser gastas para que o objetivo maior, que é o aprendizado satisfatório de nossos alunos, seja alcançado.
Tenha dedicação em ensinar, não somente com palavras, mas com atitudes. Seja um exemplo de vida para seus alunos e saiba que "todo o seu esforço neste trabalho sempre traz proveito" (ICo 15.58).

Você sabe o que é um "Doutor da Igreja"? Não?! Não é um médico ou advogado que seja cristão! É um título concedido pela Igreja Católica, para grandes mestres do passado. É um título muito raro, e em dois mil anos de história, somente trinta e uma pessoas puderem ser assim chamadas.
Sem duvida, Agostinho de Hipona e Tomás de Aquino são os mais famosos. Separados por 800 anos, esses homens de pensamento e personalidades tão diferentes , contribuíram muito para o fortalecimento da doutrina cristã.
AGOSTINHO DE HIPONA: UM CORAÇÃO INQUIETO
Nascido no ano 354 d. C., no norte da África, Agostinho era filho de um oficial romano que adorava aos deuses romanos e de uma cristã fervorosa chamada Mônica.
Seus pais perceberam que era uma criança muito inteligente e o mandaram estudar nas principais escolas do norte da África.
Ele estudou retórica, a arte de falar de maneira elegante e convincente. Não importa se, na verdade, o que está sendo falado é certo ou errado, o objetivo era convencer que o que estava sendo dito era justo, mesmo se fosse errado. Os professores de filosofia preocupavam-se em buscar a verdade, os de retórica não.

Agostinho começou estudando os livros de Cícero, grande mestre da retórica romana, mas também filósofo. Mais tarde, ele se convenceu de que falar bem não era suficiente; era necessário conhecer a verdade (Jo 8.32).
Na sua busca pela verdade, tornou-se maniqueísta. Mani o quê?! Você pode perguntar. Calma, eu explico. O maniqueísmo era uma religião famosa na época de Agostinho e que dizia que o universo era governado por duas forças: A luz e as trevas. Calma, não tire conclusões precipitadas!
Os maniqueístas acreditavam em luz e trevas de maneira completamente diferente do que é ensinado na Bíblia. Na verdade eles não gostavam da Bíblia e zombavam dizendo que era um livro infantil. Agostinho nesta época concordava com eles.

Com o tempo ele começou a se decepcionar, pois não conseguia encontrar a verdade que tanto procurava. Então, mudou-se de Cartago, viveu um tempo em Roma e foi morar em Milão, onde se tornou um neoplatônico. O neoplatonismo era uma filosofia popular nesta época e que, ao contrário do maniqueísmo, afirmava que somente uma força governava o universo, o criador de todas as coisas era chamado de "Uno Inefável" ou aquele que é único e não se pode descrever. Ele era bom, e o mal só surgia quando o homem afastava-se desse "Uno".

Parecia que todas as dúvidas de Agostinho estavam respondidas, o que sua mãe sempre lhe ensinou estava certo. Existe somente um Deus (l Tm 2.5), que é perfeito e bom. Mas como a Bíblia, com uma linguagem que para ele era infantil, narrando tantas guerras e violência poderia ser a Palavra de Deus?
Nesta época, Agostinho começou a frequentar a igreja de Milão, e o estilo da pregação do pastor daquela igreja chamou-lhe a atenção. Ambrósio, que também é considerado "Doutor da Igreja", era um grande mestre da oratória e pregava de uma maneira que convenceu Agostinho sobre a profundidade das verdades bíblicas.

BAIXE ESTA LIÇÃO COMPLETA AQUI
 
Top