FECHAR
Clique e acesse
 

DESTAQUE
“Meus irmãos, eu afirmo a vocês que o evangelho que eu anuncio não é uma invenção humana. Eu não o recebi de ninguém, e ninguém o ensinou a mim, mas foi o próprio Jesus Cristo que o revelou para mim." (Gl 1.11,12)
TEXTO BÍBLICO
Gálatas 1.6-12
LEITURA DEVOCIONAL
SEG........................................................Atos 7.54-60
TER.........................................................Atos 22.6-16
QUA....................................................Felipenses 3.5-7
QUI........................................................Atos 22.26-29
SEX.......................................................2Pedro 3.15,16
SÁB.................................................2Coríntios 11.23-27
DOM......................................................1Coríntios 11.1

ESTUDANDO A BÍBLIA
Caro professor, o início de um novo trimestre é uma ótima e indispensável oportunidade para reavaliar sua atuação em sala de aula. Não tenha medo de se perguntar em que você e sua podem melhorar para se tornar mais atraentes e relevantes. Fuja da mediocridade em todos os sentidos. Você não foi chamado para ser superficial, a superficialidade é inimiga de um professor que busca aprofundamento. Seus alunos esperam muito mais de você.
Em relação ao s estudos: leia mais, pesquise mais; seja um rio de águas correntes e cristalinas, não aceite ser um brejo. E no que diz respeito a sua intimidade como Deus em relação à oração e meditação da Palavra: não perca tempo. Mergulhe sem medo de se afogar em Deus. Seja um exemplo de espiritualidade sincera e contagiante. Boa aula.
LEIA TAMBÉM:
Neste trimestre teremos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a vida e a obra do apóstolo Paulo, mais tarde conhecido como o "apóstolo dos gentios", pois levou a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo às pessoas que não eram de origem judaica. Sua história é intrigante; suas epístolas, edificantes; sua conversão, desconcertante; e seu ministério, contagiante. Vamos caminhar pelos corredores das Escrituras Sagradas em busca de informações a respeito de Paulo e de seus ensinamentos?
CONHECENDO O HOMEM CHAMADO PAULO
Saulo, também conhecido como Paulo (At 13.9), além de desfrutar do status de cidadão romano (At 22.26-29), título recebido por herança de seu avô ou pai, era um judeu nascido na próspera, culta e importante cidade de Tarso, a qual em suas próprias palavras era uma "cidade não insignificante da Cilicia" (At 21.39).
Ele foi educado em Jerusalém quando ainda era um adolescente, tendo como mestre um fariseu de grande destaque na cultura e religião judaica, o famoso Gamaliel.

Já crescido e instruído no Judaísmo, tornou-se um membro do Sinédrio (uma espécie de Suprema Corte de Justiça dos judeus) e um intolerante extremista religioso, capaz de perseguir os primeiros seguidores de Jesus, consentindo inclusive com a morte do diácono Estevão (At 8.1).
Com autorização do sumo sacerdote, Caifás, Saulo foi em direçao a cidade de Damasco para prender todos os que confessavam Jesus como Senhor e Salvador (At 9.1,2). Entretanto, seus planos foram frustrados por Deus. Ele foi confrontado por Jesus ressuscitado e feito seu "prisioneiro" (At 9.3-9,15,16). Agora o perseguidor foi transformado em perseguido; o invencível foi vencido; o prepotente e autossuficiente foi humilhado e levado a nocaute.

AUXILIO TEOLÓGICO
Prezado professor, de acordo com o professor de Estudos do Novo Testamento do Dálias Theological Seminary, David K. Lowery, a ironia é uma palavra que descreve muito bem a vida e o ministério do apóstolo Paulo. Segundo o Dicionário Woua/ss, citado pelo autor, ironia é definida como "contraste ou incongruência entre o resultado real de uma sequência de acontecimentos e o que seria o resultado normal ou esperado". Veja a seguir parte da argumentação do autor: "Em Atos, ele é o primeiro mencionado em conexão ao apedrejamento de Estêvão (7.58), 'consentiu na morte dele' (8.1). Depois disso, ele 'assombrava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão' (8.3). Mas essa sequência de eventos é realmente distinta da última palavra sobre Paulo em Atos, palavras que registram que ele lprega[va] o Reino de Deus e ensina[va] com toda a liberdade as coisas pertencentes ao Senhor Jesus Cristo, sem impedimento algum' (28.31). [...] O próprio Paulo, em sua epístola aos Coríntios, testifica essa ironia quando escreve: 'Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. Mas, pela graça de Deus, sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vá1 (l Co 15.9,10). [...] O perseguidor da igreja transformou-se em um missionário de destaque e deixou um legado escrito para as igrejas que fundou e onde logo passou a ser reconhecido por ter relevância e autoridade permanentes" (ZUCK, Roy B. (Ed.). Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.270).

A COMPOSIÇÃO DAS CARTAS DE PAULO
Não mais conhecido como Saulo, Paulo se tornou um homem muito bem preparado. Ele investiu tempo e dedicação quando ainda era adolescente. Muito embora tenha se divertido enquanto criança, não perdeu nem desperdiçou seu tempo, antes, aproveitou cada oportunidade recebida nas diferentes fases de sua vida. Tinha como profissão a arte de fabricar tendas (At 18.2,3), ofício que aprendera com seu pai. Além disso, era um poliglota, falava hebraico, aramaico, grego e latim, bem como conhecia a filosofia e a cultura do seu tempo. Agora, adulto e convertido, Deus usou-lhe toda a capacidade física e intelectual a serviço do Reino, tornando-o o maior missionário e escritor do Novo Testamento.

Como sabemos, o Novo Testamento constitui-se de 27 livros, dentre os quais 21 são classificados como epístolas ou cartas. Destas, 13 são de autoria do apóstolo Paulo, sendo cartas encaminhadas por ele tanto às igrejas localizadas em cidades (como Roma, Corinto, Eféso) quanto a pessoas (como os pastores Timóteo, Tito e ao irmão Filemon).
Essas cartas foram inspiradas por Deus e escritas por Paulo quando este exercia seu ministério de pregação e implantação de igrejas no primeiro século. Elas são uma espécie de documentos ocasionais, ou seja, nasceram a partir de uma ocasião específica e por alguma circunstância especial (comportamentos que precisavam ser corrigidos, erros doutrinários, questionamentos, dúvidas).

Além das epístolas de Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gaiatas e 1 e 2 Tessalonicenses, que não possuem uma classificação específica, os demais escritos de Paulo são didaticamente classificados de duas maneiras: Cartas do cárcere, as quais foram escritas quando Paulo estava preso (Filipenses, Filemom, Colossenses e Efésios); e Cartas pastorais, que são escritos direcionados às pessoas que exerciam o ministério pastoral na igreja (1 e 2 Timóteo e Tito).

AUXÍLIO DIDÁTICO
As epístolas ou cartas eram correspondências escritas que funcionavam como método popular de comunicação. Por meio delas, seus escritores encurtavam distâncias e alimentavam uma sensação de proximidade pessoal que elas proporcionavam. Em geral, elas possuíam seis partes: nome do escritor; destinatário; saudação; um desejo ou ações de graças; o corpo da carta; e a saudação final e despedida. Peça aos alunos que escrevam uma simples carta a um amigo de classe considerando as partes citadas.

A ATUALIDADE DOS CONSELHOS DE PAULO PARA NÓS
As cartas de Paulo estão distantes de nós há aproximadamente vinte e um séculos. No entanto, sua mensagem continua atual e relevante. Diferente de alguns livros que têm um caráter puramente descartável, as cartas de Paulo são diferentes, os conselhos contidos nelas permanecem atuais, inteligentes e dignos de serem ouvidos e seguidos por aqueles que buscam uma vida para glória de Deus e o benefício do próximo.
Dos muitos conselhos oferecidos pelo apóstolo às igrejas e às pessoas para quem escreveu, vamos refletir sobre três:

1- Obedeça aos pais: Filhos, o dever cristão de vocês é obedecer ao seu pai e à sua mãe, pois isso é certo (Ef 6.1). Obedecer é uma atitude inteligente e recompensadora. Deus se agrada de jovens que escolhem trilhar o caminho da obediência.

Infelizmente, perto ou longe de nós, temos visto e ouvido falar de inúmeros adolescentes que perderam suas vidas ou estão chorando amargamente por causa da desobediência. Moças e rapazes, que por não controlarem ou fugirem de seus impulsos sexuais, perderam a virgindade e acabaram, prematuramente, tornando-se pais. O que dizer daqueles que por causa das más companhias e em busca de aceitação em determinados grupos sociais foram seduzidos e iniciados às drogas e hoje são dependentes delas. Adolescente, ouça o conselho de Paulo: obedeça seus pais para que você viva muito tempo na terra, pois obedecer é melhor do que quebrar a cara!

2- Ore pelas autoridades: [...] Peço que sejam feitos orações, pedidos, súplicas e ações de graças a Deus em favor de todas as pessoas [...] (1 Tm 2.1). Vivemos uma crise generalizada na política, na religião, na família, na polícia e em outras instituições sociais. Há roubo e corrupção por todos os lados; os homens não pensam no próximo nem tão pouco em Deus. O conselho de Paulo ao jovem pastor Timóteo deve ser encarado com muita seriedade por você. Não perca tempo! Ore pelas autoridades do país, peça a Deus que levante uma nova geração de homens e mulheres dispostos a dedicarem-se a Ele e a respeitarem aos outros. Inclua-se nos planos de Deus e seja um instrumento disponível a Ele para sua geração.

3- Viva para glória de Deus: Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer coisa, façam tudo para a glória de Deus (1Co 10.31). Embora o contexto do texto seja os alimentos que eram oferecidos como sacrifícios aos demónios na antiga cidade de Corinto, o princípio por detrás desse conselho é atualíssimo. Paulo nos convida a usar nossa liberdade com amor e responsabilidade para com Deus e com o próximo. Nossa vida não deve ser vivida de maneira egoísta, buscando somente nossos próprios interesses. Você não é uma "ilha" em si mesmo, nem a única cereja do bolo. Não. Definitivamente não! Você nasceu para viver em sociedade; deve considerar os interesses dos outros. Por isso, leia, estude, escreva, faça amigos, divirta-se, cultue, ouça, fale, busque a Deus de todo o seu coração, ame o próximo, viva sua adolescência com intensidade e verdade; mas nunca esqueça: Faça tudo para glória de Deus!

AUXÍLIO DIDÁTICO
Caro professor, ao estudar sobre o apóstolo Paulo e seus ensinamentos deixados às igrejas em suas cartas, percebemos o quanto Deus usou esse homem, cheio de graça e de verdade. Ele sofreu naufrágios, foi apedrejado, caluniado, desacreditado, confrontado, aprisionado, picado por uma víbora, acometido por uma enfermidade "incurável", decepcionado, mas continuou firme em sua vocação. Considerava-se um escravo de Jesus Cristo, ao ponto de dizer: "Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim" (Gl 2.20).

O grande destaque da vida de Paulo não foi a completa perfeição, mas a inteira entrega a Deus. Entendo que as palavras do pastor e teólogo inglês Brooke Foss Westcostt sintetizam muito bem a pessoa de Paulo, bem como aquilo que Deus espera de cada um de nós: "A marca de um santo não é a perfeição, mas a consagração. Um santo não é um homem sem falhas, mas um homem que se entregou, sem reservas, a Deus".
RECAPITULANDO
A vida de Paulo está repleta de lições valiosas e inspiradoras. Por intermédio dela temos a oportunidade de ver que o Senhor da Igreja é um Deus de amor, oportunidades e recomeços. Assim, o que outrora pedia cartas de autorização para prender e até matar cristãos, agora escreve cartas para corrigir, aconselhar e abençoar seus irmãos em Cristo.

Responsável por escrever treze das vinte e uma cartas do Novo Testamento, e de realizar três grandes e desafiadoras viagens missionárias que o levaram a experimentar circunstâncias intensas de dor e sofrimento, o apóstolo Paulo, depois de Jesus Cristo, é a maior personalidade do cristianismo.

Paulo foi um herói da fé; um homem que combateu o bom combate, encerrou a carreira e guardou a fé.

REFLETINDO
1. Qual era a profissão de Paulo?
R. Construtor de Tendas.
2. Como podemos CLASSIFICAR PAULO antes de sua conversão, no que diz respeito aos primeiro seguidores de Jesus?
R. Um intolerante extremista religioso
3. Quantas cartas são de autoria do apóstolo Paulo?
R. Treze cartas, também chamadas de epístolas.

Revista de Adolescentes - Professor 4º Tr. 2016/Divulgação: www.sub-ebd.blogspot.com


 
Top