Anuncios

FECHAR
Clique e acesse
 

Este é um subsídio para a presente lição da classe de Adultos. Para a continuação da leitura de todo este subsídio, acesse aqui.
Conheceremos algumas definições bíblias tanto para a palavra paz, quanto para o temo inimizade. Veremos a importância da paz Deus para nossas vidas e discorreremos a cerca da paz espiritual, a fim de evitarmos as inimizades.
A PAZ COMO UM ASPECTO DO FRUTO DO ESPÍRITO SANTO
O resultado final da obra do Espírito Santo em nossa vida é a profunda e duradoura paz. Diferente da paz mundana, normalmente definida como a ausência de conflitos, a paz de Cristo é uma certeza de segurança em qualquer circunstância; tendo-a, não precisamos temer o presente ou o futuro. Se a sua vida é cheia de preocupações, permita que o Espírito Santo encha-o com a paz de Cristo!


Clique e acesse
1. DEFINIÇÕES PARA A PALAVRA “PAZ” NO SENTIDO ESPIRITUAL.
Encontramos nas páginas do Novo Testamento algumas referências a cerca da palavra ‘paz’. Exemplos. Acerca da paz de Jesus (Jo 14.27), a paz de Deus (Fp 4.7) e a paz como um aspecto do fruto do Espírito Santo (Gl 5.22). Portanto, algumas definições para o termo ‘paz’ no sentido bíblico.

a) Paz: Espiritualmente falando, é uma cultivação (fruto) do Espirito (Gl 5.22) que produz harmonia e tranquilidade a despeito das circunstâncias. A paz do Espírito cria uma harmonia entre Deus e homem, Rm 5.1 e reconciliação, Cl 1.20. A paz de Deus... excede todo o entendimento... e guarda os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus (Fp 4.7) [R.N. Champlin, Ph.D.].

b) Paz: (No grego é eirene), isto é., a quietude de coração e mente, baseada na convicção de que tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial (Rm 15.33; Fp 4.7; 1Ts 5.23; Hb 13.20) [Bíblia de Estudo Pentecostal].

c) Paz: A calma interior que resulta da confiança no relacionamento de proteção entro uma pessoa e Cristo (Bíblia Mec Artur).

d) Paz: (Gr. eirene) o estado de quietude, descanso, repouso, harmonia, ordem e segurança no meio da contenda, lutas e tentações (Is 45.7) [Bíblia Dake].
“Na véspera de sair deste mundo, Jesus entregou Seu espírito ao Pai. Legou Seu corpo a José de Arimatéia, para enterrar. Sua roupa deixou aos soldados. Entregou Sua mãe aos cuidados de João. Mas não tinha ouro nem prata para legar a Seus discípulos. Deixou-os, contudo, o que era infinitamente de maior valor, a Sua paz (João 14.27) [Orlando Boyer]”.
A verdadeira paz não se encontra no pensamento positivo, na ausência de conflitos ou nos bons sentimentos. Ela vem de saber que Deus está no controle de todas as coisas. Nossa cidadania no Reino de Cristo está garantida (Fp 3.20,21), nosso destino já foi determinado e podemos alcançar a vitória sobre o pecado.


e) A paz no sentido geral.
Um estado de calma e tranquilidade, livre de agitação e conflito: um estado de harmonia, de uma ordem mantida sem violência; um estado de amizade e de acordo.
O termo hebraico envolvido na tradução paz é o bem conhecido shalom. Além de “paz”, esta palavra pode significar bem, feliz, tranquilo, saúde e prosperidade. O termo grego envolvido é eirene que tem as ideias de paz, harmonia, unidade, acordo descanso e quietude.

2. O FRUTO DA PAZ PRODUZ VIDA ESPIRITUAL.
As principais atividades do Espírito Santo ao desenvolver o fruto espiritual estão entrelaçadas com a paz. Consideremos estas referências:

a) Graça e paz.
"Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir" (Ap 1.4). Graça é a boa vontade de Deus para conosco. Quando, pela fé, nos rendemos a Deus, a graça nos capacita a fazermos a sua vontade. Paz, portanto, é a evidência e a certeza da graça de Deus estendida a nós. Pela operação da graça em nossa vida, as questões que nos separaram de Deus são resolvidas. Em nossa nova relação com ele, efetuada pela mudança de nossa natureza, temos a paz divina.

b) Amor e paz.
"Sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco" (2 Co 13.11). O Deus de amor é também de paz, e ama a concordância entre os seus filhos. A Escritura nos instrui e exorta a amá-lo, a estarmos reconciliados com ele, e também a amarmos os nossos irmãos e a viver em paz uns com os outros.


c) Vida e paz.
"A inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz" (Rm 8.6). A pessoa que não se submete à lei de Deus não há o que esperar, senão a morte. Não admira que não haja paz em seu coração. Mas, a que se submeteu ao controle do Espírito fica livre de preocupações, pois conhece a paz real e permanente.

3. O FRUTO DA PAZ PRODUZ VIDA MORAL.
a) Santidade e paz.
É pela paz e unidade em Cristo que o crente obtêm a santidade e se conserva para a vinda do Senhor. "O mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" (1Ts 5.23; Hb 12.14).

b) Justiça e paz.
"O fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz" (Tg 3.18). Este versículo indica que a justiça é semeada na paz. O solo no qual o Espírito Santo trabalha para produzir o seu fruto é o da paz. Embora em Mateus 13.1-8, quatro tipos de solos sejam mencionados, apenas um era ideal para produzir fruto. A semente possuía o selo de qualidade do céu como garantia, mas a terra era ruim. Nosso evangelho é de paz, e o cristão que o professa deve ter paz no coração também e promover a paz (Rm 10.15).

c) Justiça, alegria e paz.
"O Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" (Rm 14.17). Justiça, alegria e paz são as marcas do crente cheio do Espírito. Essas características fazem parte do nosso relacionamento com o Reino de Deus. Quanto a Deus, nossa preocupação é a justiça — estar diante dele justificados pela morte de Cristo e santificados pelo Espírito. Quanto aos crentes, é a paz — viver em harmonia com todos os homens. Quanto a nós mesmos, é a alegria no Espírito Santo.

d) Confiança e paz.
"Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti" (Is 26.3). Como um bebé dorme pacificamente nos braços de sua mãe, com inteira confiança, assim descansam os que colocam a sua confiança em Deus. Este versículo ensina que é vantajoso manter a mente centrada, em inteira confiança em Deus, pois o resultado de fazê-lo é uma paz constante que nos conserva firmes em todo o tempo [Lições Bíblicas, 1° trimestre de 2005, CPAD].
INIMIZADES, OBRAS DE CRENTES CARNAIS

1. DEFINIÇÕES.
O termo ‘inimizade’ pode ser encontrado tanto no Antigo Testamento (Gn 3.15) quanto em o Novo Testamento (Tg 4.4). O que o termo inimizade significa? Vejamos, pois algumas definições.
a) A Inimizade é uma forma de ódio, ou contra o que é bom ou contra o que é mau. Tornar-se amigo do mundo é tornar-se inimigo de Deus, porque ninguém pode manter uma dupla lealdade (Tg 4.4). [R.N. Champlin, Ph. D.].
b) “Inimizades” (gr. echthra), isto é, intenções e ações fortemente hostis; antipatia e inimizade extremas. Isso reflete um caráter marcado pela hostilidade, pelo rancor, pela falta de amor. Amargo desgosto, malícia e má vontade contra alguém; tendência à irritação ou ira contra alguém.
c) O dicionário digital, ‘dicio’, define a palavra inimizade da seguinte maneira. Em que não há amizade; ausência de amizade; sentimento de ódio ou malquerença direcionado a algo ou alguém (www.dicio.com.br).

2. O PERIGO DA INIMIZADE.
A mentalidade carnal é inimizade contra Deus (Rm 8:7, 8; Tg 4.4). As inimizades é uma das obras da carne e, sabemos que quem as pratica não terá parte no Reino de Deus (Gl 5.20, 21b).

3. TIPOS DE INIMIZADE NO NOVO TESTAMENTO.
O emprego de seis ocorrências da palavra grega echthra no Novo Testamento também revela três tipos de inimizade.
a) A inimizade contra Deus (Rm 8.7; Tg 4.4).
b) A inimizade entre indivíduos (Lc 23.12).
c) A hostilidade entre grupos de pessoas (Ef 2.14-16).

Em Gálatas 5.20, inimizades, uma palavra usada no plural, indica muitas modalidades de ódios, contra Deus e contra os homens. Essa emoção é o oposto exato do amor, pois, ao invés de buscar o benefício e o bem-estar do próximo, busca prejudicá-lo, almejando a sua destruição; e assim fica exibido um caráter profano, visto que Deus é amor. As inimizades geram as hostilidades de todas as formas.

4. A INIMIZADE COMO UMA FORMA DE ÓDIO.
Algumas versões bíblicas traduziram o original grego echthra (em Gálatas 5.20), para a palavra “ódio”. Isto porque inimizade é uma forma de ódio.
As versões que usam o termo ódio em vez de inimizade são:
- Bíblia King James Atualizada.
- Nova Versão Internacional (NVI).
Acerca do ódio lemos em Provérbios:
ü Provérbios 10.12: O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados.
ü Provérbios 10.18: O que encobre o ódio tem lábios falsos, e o que divulga má fama é um insensato.
ü Provérbios 15.17: Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio.
Comentarista de Subsídios EBD: Ev. Jair Alves

A continuação deste artigo você encontra em E-book Subsídios EBD – Vol. 7 Acesse AQUI
 
Top